O diagnóstico da Enurese Noturna considera - além dos sintomas - fatores psicológicos, alérgicos e antecedentes familiares. Munido dessas informações, que são fornecidas pelos pais, e de exames clínicos, o médico poderá identificar o problema e indicar o melhor tratamento.

Classifica-se a doença em primária, quando a criança acima de 5 anos nunca apresenta um período prolongado de controle de urina durante o sono, e em secundária quando a criança volta a fazer xixi na cama depois de ter passado cerca de seis meses sem incontinência.

Em alguns casos, a Enurese se dissipa espontaneamente conforme a criança cresce, mas se isso não acontece até a idade escolar, a socialização pode ser comprometida. Por isso, a importância de observar e procurar a opinião médica.