Ambiente escolar tem grande influência no desenvolvimento emocional das crianças com enurese noturna. Confira no que ficar de olho.

Depois da família, é na escola que a criança passa a conviver com um maior número de pessoas novas à sua rotina. Professores, colegas, pais e irmãos de amiguinhos, monitores, estudantes de outros anos. Não é à toa que o ambiente escolar seja considerado uma mini sociedade, já que apresenta situações de partilha, convivência com diferenças, limites e regras. No caso da enurese, entretanto, as noites mal dormidas e a baixa autoestima passam a também influenciar esse dia a dia. Segundo pesquisas, crianças com enurese noturna tem até quatro vezes mais problemas comportamentais relevantes do que as demais, além de que, 50% delas, tem baixo rendimento escolar e problemas de aprendizado. 

Dessa forma, além da avaliação médica e da adesão aos tratamentos, é essencial estabelecer uma parceria com a direção da escola e com os professores do seu filho. Explique a situação e peça que sejam observados comportamentos de isolamento e irritabilidade, bem como posições de contenção. Uma alternativa interessante, inclusive, é sugerir que a escola trabalhe o tema xixi na cama com os alunos e famílias dos anos iniciais. Assim, além de ajudar a criança com enurese a se sentir mais acolhida, dá para deixar mais pessoas informadas sobre o transtorno. Aqui, você baixa um Guia de Cuidados para Enurese Noturna que pode ajudar com o assunto.

Checklist volta às aulas: 3 passos para retomar a rotina!

O ambiente escolar mexe muito com as crianças. Por isso, seja na volta das férias ou na mudança para uma nova escola, é preciso dar as mãos para o seu filho e oferecer apoio. Veja algumas dicas do Sem Xixi na Cama para que esse retorno ou recomeço seja tranquilo.

– Oi, doutor!

As pausas escolares são ótimas para realizar acompanhamentos médicos e checar se está tudo bem com a saúde da criança. Hora de marcar uma consulta com o pediatra e investigar a enurese noturna. Se possível, leve o registro das noites secas e qualquer informação relevante para a avaliação do transtorno.

– Água de dia, menos xixi à noite!

Aumentar a hidratação da criança com enurese durante o dia é fundamental para que, à noite, ela sinta menos sede e ingira menos líquidos. Compre uma garrafinha colorida e acostume a criança a beber água. Claro que isso irá aumentar as idas ao banheiro na escola, por isso, aquela conversa com a professora é importante.

– Preparado, filho?

Conversar com o seu filho é uma das maneiras mais simples e eficientes de estabelecer uma relação de confiança e despertar no pequeno a sensação de segurança, principalmente nos seguintes casos: mudança de escola; primeiro ano escolar; nova série. Situações estressantes contribuem para a enurese secundária e, também, afetam o tratamento da primária.