Ao longo do tratamento, a experiência precisa ser positiva, de modo que a aprendizagem predomine em relação ao incômodo

Logo que diagnosticada e ao longo do tratamento, a enurese noturna deve ser considerada em todos seus aspectos. O comportamento familiar, convívio, socialização, expressão, comunicação e todo universo que envolve a criança serão imprescindíveis para seu desenvolvimento. Por isso, selecionamos algumas questões importantes para a superação da enurese noturna sem traumas, confira:

  • Nem todas as crianças estão maduras o suficiente para entender o tratamento e comprometer-se a realizá-lo de maneira saudável, sem que este seja um passo traumatizante.
  • Todos devem estar cientes de que a culpa pelas perdas urinárias não são de responsabilidade ou culpa da criança, pois acontecem involuntariamente; e a opressão e a punição só agravam a compreensão da doença e atrapalham o progresso do paciente.
  • A colaboração dos pais em motivar a criança através do reconhecimento pelas noites secas e esforço em se cuidar, o diálogo e a participação ativa durante o tratamento aceleram e colaboram para que o sucesso seja alcançado.
  • Criar expectativas saudáveis, incentivar atividades sociais e, principalmente, observar a ingestão hídrica diurna e micções regulares, são tarefas assumidas a princípio pelos pais e cuidadores, até que se tornem hábito ou que a criança adquira o controle total da função miccional.
  • O comportamento em relação à enurese influenciará a maneira que a criança percebe o mundo. Os pais devem cuidar para que essa experiência seja positiva e que a aprendizagem predomine em relação ao incômodo, ensinando conceitos como respeito, solidariedade, responsabilidade, amizade entre outros sentimentos indispensáveis para que a criança cresça em um ambiente seguro e livre.