Hidratação estimula desenvolvimento da bexiga e evita problemas de saúde; confira dicas de como fazer a criança beber água

Você consegue dizer, rapidamente, quanto de água o seu filho bebe por dia? Ficou na dúvida? Então, é hora de checar se ele está tomando o suficiente! Estima-se que dos 4 aos 8 anos de idade, a criança deve ingerir cerca de um litro e meio de água por dia, subindo para dois litros dos 9 anos em diante. Agora pense: se para os adultos, que sabem da importância do hábito, já é difícil incorporá-lo à rotina, imagine então para uma criança pequena. Haja criatividade e muito, muito estímulo para descobrir como fazer a criança beber água. Afinal, hidratar-se adequadamente também é um aprendizado e pode contribuir diretamente no crescimento e na prevenção de problemas como infecção urinária e enurese noturna.

Quando começar?

Por recomendação dos médicos, a água deve ser introduzida na rotina alimentar da criança a partir dos 7 meses, sendo uma média de 800 ml distribuídos ao longo do dia. Do primeiro ao terceiro ano de vida, a demanda aumenta para 1.300 ml, incluindo sucos naturais, e para 1.700 ml dos 3 aos 8 anos. As medidas são gerais e, claro, não substituem a orientação médica individual, que considera diversos aspectos contextuais da criança. Contudo, mais importante do que seguir um número, é estimular o consumo de água sempre que possível e observar alterações nos hábitos miccionais. Com o consumo certo de água, espera-se que as crianças usem o banheiro até sete vezes por dia.

Não precisa forçar!

Não é porque beber água é fundamental para a saúde que a criança precise andar com uma tabelinha ou ser castigada caso não consuma o total necessário. Como todo aprendizado, esse também deve ser um processo natural e livre de estresse ou comportamentos que gerem ansiedade na criança. Um simples copinho colorido ou uma fôrma de gelo diferente já podem fazer o maior sucesso com os pequenos. Esse é o segredo, deixar a rotina interessante e acessível. Águas saborizadas são boas para chamar a atenção em momentos específicos, mas não devem substituir a água pura. Mesmo porque, se a criança já tem dificuldade de beber água por ser “sem gosto”, não é depois de sentir algum sabor que ela mudará de ideia.

Seja exemplo

De nada adianta oferecer água de cinco em cinco minutos, se mais ninguém da família der o exemplo. Inclua a bebida na rotina da casa, deixando-a sempre à vista da criança. Só não é interessante levar o líquido para as refeições, já que a combinação contribui para a dilatação do estômago e para a sensação de barriga muito cheia. Sucos também devem ser dispensados, mesmo naturais, e refrigerantes, bom, não é preciso nem falar.

Presenteie a criança com uma garrafinha de água bem legal e crie uma história envolvente. Crianças adoram fazer parte e, principalmente, fantasiar. Outra alternativa interessante é desenhar, junto com a criança, os copinhos do dia.

Observe os comportamentos miccionais

Crianças que bebem pouca água durante o dia podem apresentar dificuldades para urinar ou até para segurar o xixi à noite. Isso porque, como todo músculo, a bexiga precisa ser exercitada para se desenvolver. Do contrário, acaba não conseguindo armazenar a urina produzida durante o sono, facilitando episódios de perda de xixi. Por isso é tão importante manter a criança bem hidratada ao longo do dia e evitar o consumo de água à noite, especialmente algumas horas antes do sono.  De dia, fique atento a sinais como boca seca, cansaço, irritabilidade, posturas de contenção – agachar; trançar as pernas; colocar a mão no “pipi” – e urgência miccional. Eles podem indicar disfunções miccionais e favorecer quadros de enurese noturna, que precisam de orientação e apoio especializado.

Quer saber mais sobre saúde infantil e enurese noturna? Continue acompanhando nosso site e siga o Sem Xixi na Cama nas Redes Sociais.