Ao invés da punição, entenda por que utilizar o reforço positivo contra a enurese noturna; app do Sem Xixi na Cama pode ajudar a envolver a criança no tratamento

É normal que os filhos façam xixi na cama até os 5 anos, mas, em alguns casos, a enurese noturna pode chegar até a adolescência. Ainda mais alarmante é o número de crianças que são castigadas diariamente devido ao problema, em função do desconhecimento dos pais sobre as principais causas do xixi na cama. Quase 85% sofrem algum tipo de punição, enquanto 50% são agredidas fisicamente.

O que é reforço positivo?

Ao invés dos castigos, uma estratégia que funciona e pode ser adotada contra a enurese noturna é o reforço positivo, com a comemoração de cada progresso da criança no tratamento. Ou seja, valorize as noites secas! Cada lençol sequinho precisa ser encarado com uma vitória, parabenizada com elogios e muito carinho.

De acordo com o que o urologista pediátrico Dr. Ubirajara Barroso Jr. observa em seu consultório, os esforços relacionados ao tratamento são melhores e mais efetivos quando a criança conta com o apoio e compreensão dos pais ou responsáveis sobre a situação. “Não podemos reprimir a criança. Não é culpa dela fazer xixi na cama, mas sim uma falta de amadurecimento do sistema urinário. Cada criança tem o seu tempo. Ao invés de criticar, trabalhe com o reforço positivo, elogie as noites secas e exercite a paciência nos episódios de xixi na cama”, orienta.

Ainda sobre o reforço positivo, o especialista ressalta a importância de a criança entender e acompanhar os progressos do seu tratamento. “Especialmente para que continue dedicada ao processo, pois se o pequeno não entende que precisa colaborar, as chances de sucesso são menores”, avalia.

Aplicativo ajuda a envolver a criança no tratamento

Desenvolvido especialmente para as crianças, o aplicativo do Sem Xixi na Cama pode ajudar os pais a tornar o tratamento mais leve e divertido para os filhos. Com a ajuda do mascote Pee, os pequenos podem seguir todas as orientações recomendadas, com registro da rotina alimentar, e calendário com sol e chuva para anotar os episódios de xixi e, principalmente, os dias de lençol sequinho.

Há ainda brincadeiras em que as crianças conseguem, por exemplo, acumular medalhas a cada recomendação cumprida, ajudando o mascote Pee a montar o seu guarda-roupa. Além dessa abordagem lúdica do problema, o aplicativo auxilia os pais a preencher e compartilhar o diário miccional por e-mail diretamente com o médico.

O aplicativo está disponível para iOS e Android e o download é gratuito. Clique aqui para baixar e não deixe de compartilhar conosco o que achou.

Fontes:
Revista Crescer. Xixi na cama: como resolver?
Folha Vitória. Xixi na cama: 15% das crianças com mais de cinco anos são afetadas pelo transtorno.
O Estado do Maranhão. Como utilizar a quarentena com os filhos para melhorar o xixi na cama.