Causas da enurese noturna envolvem desde hábitos a problemas fisiológicos. Entenda!

Acompanhar o crescimento de uma criança é conhecer, também, as diversas fases e transformações que acontecem a cada ano. Os primeiros passos, o desfralde, a primeira letrinha. Tudo envolve uma série de emoções e vai estabelecendo, pouco a pouco, a relação entre pais e filhos. Mas aí, o xixi escapa. Uma noite, duas, meses, anos. O que fazer? À primeira vista, muitos pais consideram os episódios comportamentais; uma forma de a criança chamar a atenção ou, até mesmo, preguiça de levantar e ir ao banheiro. Contudo, a repetição das perdas durante o sono, especialmente após os 5 anos, evidencia um transtorno que atinge cerca de 10% das crianças em idade escolar: a enurese noturna. Reunimos as principais causas do xixi na cama, que não chega a ser uma doença, mas que precisa de tratamento. Confira!

Hereditariedade

Uma das principais causas do xixi na cama é o fato de os pais da criança terem sofrido com o mesmo problema durante a infância. De acordo com especialistas, se um deles teve enurese quando criança, a chance de o filho também ter é de pouco mais de 40%; já se ambos tiveram, a possibilidade sobe para quase 80%. A grande dificuldade nesse diagnóstico é que muitos pais não se lembram desse período de suas vidas. Por isso, é importante conversar com parentes e tentar buscar na memória qualquer situação que tenha envolvido perdas de xixi durante a infância. No entanto, a ideia aqui não é comparar a criança com você ou com os irmãos e primos, mas, sim, investigar as possíveis causas para que o tratamento seja o mais assertivo possível.

Sono pesado

Existe um diálogo entre o cérebro e a bexiga que acontece o tempo todo, inclusive quando estamos dormindo. Quando a bexiga se enche, nosso cérebro detecta o movimento e nos desperta, fazendo com que levantemos em direção ao banheiro. Se a criança tem sono pesado, entretanto, essa comunicação entre os nervos do cérebro e da bexiga não acontece e, consequentemente, acontecem as perdas urinárias. Por isso, é comum encontrar relatos de mães que acordam a criança de madrugada para fazer xixi no banheiro e, mesmo assim, ela não desperta totalmente. Nesses casos, é preciso conversar com um especialista e buscar soluções que estimulem esse condicionamento, como o uso de alarmes sonoros, por exemplo.  

Desregulação do hormônio vasopressina

Todos nós temos um hormônio antidiurético chamado vasopressina que, basicamente, aumenta a concentração de urina e diminui o seu volume – especialmente à noite – fazendo com que a nossa bexiga consiga armazenar o xixi durante o sono. Quando a criança tem uma deficiência nesse hormônio, sua produção de urina à noite aumenta e as perdas acabam sendo um reflexo natural da bexiga cheia. Dessa forma, é comum que a criança faça xixi na cama mais de uma vez por noite, por exemplo, já que a bexiga não esvazia por completo a cada ocorrência. Existem medicamentos que podem ajudar com o problema, entretanto, somente um especialista poderá avaliar, diagnosticar e prescrever o tratamento.

Problemas emocionais

Mesmo não sendo a maioria dos casos, há crianças que fazem xixi na cama por conta de questões emocionais. É a enurese noturna secundária, caracterizada por perdas de urina durante o sono após um longo período de noites secas. Situações estressantes para a criança como mudança de escola, de casa, nascimento de irmão, separação dos pais, brigas familiares, bullying e desfralde forçado podem desencadear o transtorno e deixar mães e pais sem saber como agir. Contar com orientação psicológica nesses casos é fundamental, mas a avaliação clínica de um especialista como o pediatra também não deve ser descartada.

Compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais e ajude mais famílias a se conscientizarem sobre as causas do xixi na cama e a buscarem ajuda para tratar a enurese noturna.