Enfrentar a enurese noturna pode mexer com as emoções das crianças e dos pais. Confira sentimentos mais comuns e como lidar com eles

Os lençóis amanhecem molhados outra vez e depois de tanto procurar maneiras de resolver a questão, você, mãe ou pai, começa a pensar que o problema está em você. A sensação de impotência é muito comum durante o tratamento da enurese noturna, especialmente no começo, quando o transtorno ainda afeta a rotina da família de uma maneira frequente. Os pais têm o sono interrompido e, além de lidar com a criança assustada e molhada, ainda precisam colocar lençóis de molho, dar um jeito no colchão e, em muitos casos, acalmar o irmão que dorme no mesmo quarto.

Depois dos 5 anos, os episódios frequentes de xixi na cama precisam de avaliação médica e tratamento. Os resultados, é claro, não aparecem da noite para o dia e é preciso ter muita paciência para persistir nas terapias até o final. Mesmo assim, a saúde emocional acaba falando mais alto e é aí que pais e filhos precisam se unir e superar o problema juntos. Confira os sentimentos mais comuns durante esse processo e, caso se identifique com algum deles, não hesite em procurar orientação profissional.

  1. Frustração

Do ponto de vista dos pais, pode ser muito frustrante passar pela mesma situação noites a fio e não ver avanços. A criança para de ingerir líquidos à noite, adota uma dieta com pouco sal na janta, obedece a uma rotina de horários e, mesmo assim, o xixi na cama aparece uma, duas, e até três vezes na semana. Claro que não é fácil lidar com isso e você deve sim permitir que esse sentimento se manifeste. Contanto, lembre-se de fazer isso longe do seu filho e de recuperar o equilíbrio o quanto antes. Enurese noturna é uma só uma fase! Com orientação e tratamento adequado, tudo se resolve, mais cedo ou mais tarde.

Do ponto de vista da criança, acordar molhada depois de seguir tudo o que o papai e a mamãe disseram também pode causar uma enorme frustração. Isso pode se manifestar de duas formas: (1) ela passa a achar que os pais estão mentindo; (2) ela começa a querer resolver o assunto sozinha. Seja como for, é preciso ficar de olho e evitar que a criança se prejudique física e emocionalmente. Uma alternativa é explorar o lado positivo desse sentimento. A frustração é essencial para mostrar aos pequenos que as imperfeições fazem parte da vida, mas que, mesmo assim, eles continuarão a ser amados e respeitados por você.

  • Culpa

Do ponto de vista dos pais, ver o filho ter as noites interrompidas pelo xixi na cama e a qualidade de vida afetada sem conseguir uma solução imediata, é quase como uma punição. Eles se culpam por qualquer coisa que conseguirem pensar como uma falha, seja no desfralde, na mudança de escola ou na jornada dupla. Mas, a verdade, é que não existem culpados para a enurese noturna. Mesmo quando o caso tem a ver com a hereditariedade, não há como impedir que a situação se manifeste, já que existem tanto possibilidades de a criança ter o problema, como de não ter. O mais importante não é encontrar onde você errou, mas sim, se concentrar no que você pode fazer para ajudar.

precisa-de-ajuda-com-o-xixi-na-cama

Do ponto de vista da criança, a culpa é um sentimento que se evidencia desde a primeira perda urinária. E sentir-se culpado pode desencadear uma série de outros problemas, como baixa autoestima e isolamento social. Uma atitude que pode ajudar, além de explicar para a criança que ela não tem culpa, é envolve-la no tratamento. Assim, ela sente que está participando da resolução do problema e consegue entender, pouco a pouco, que essa é uma fase passageira.

  • Vergonha

Do ponto de vista dos pais, pode ser vergonhoso dizer para familiares, amigos ou pessoas próximas que o filho está fazendo xixi na cama depois de uma certa idade. O sentimento é comum e tem a ver com a aceitação social dos próprios pais, afinal, o que pode ser mais desagradável do que dividir uma situação tão íntima e receber um julgamento da sua capacidade como mãe ou pai? Isso não significa, entretanto, que você precise enfrentar o problema sozinha. Antes de compartilhar os episódios com alguém, certifique-se de que essa pessoa irá te apoiar. Em nosso site, você encontra um Guia de Cuidados para enurese que pode ajudar nessa missão.

Do ponto de vista da criança, fazer xixi na cama em uma idade em que as outras crianças já superaram o problema, pode ser extremamente desconfortável. Ela começa a se comparar com primos, irmãos e amiguinhos e passa a se sentir diferente e incapaz, especialmente se os pais a castigam, repreendem ou debocham da situação. Conversar com a criança que faz xixi na cama é essencial, sempre mostrando que ela é sim capaz de superar o problema e que isso não a faz pior – ou melhor – do que ninguém. Se os pais têm problemas para lidar com a situação, o ideal é recorrer a uma orientação profissional, como a de um psicólogo, por exemplo.

E você, o que sente quando o seu filho faz xixi na cama? Conte pra gente e aproveite para compartilhar esse conteúdo com outras famílias que possam estar passando por esse problema.