Casos reais acendem alerta para saúde emocional e física das crianças com enurese noturna

Para uma criança, só existe uma coisa pior do que acordar com os lençóis molhados: ser punida por conta disso. Segundo estudo recente, toda criança que faz xixi na cama, diagnosticada com enurese noturna, sofre algum tipo de humilhação, sendo 65% castigadas e 50% agredidas fisicamente. Entre as causas da intolerância estão o cansaço pelas noites mal dormidas, e, principalmente, falta de conhecimento sobre o problema. Pressionados por pessoas próximas e sem ideia de como lidar com a situação, muitos pais acabam tomando medidas drásticas que evitem a recorrência. Contudo, enurese noturna é uma condição que não se resolve com agressão, mas sim com investigação, tratamento e apoio. A seguir, exemplos tristes que mostram o que não fazer com a criança que faz xixi na cama.

Quando lençóis molhados viram punição

Não é difícil encontrar na internet notícias assustadoras sobre punições extremas por xixi na cama. Há, inclusive, casos que resultaram em óbito, tamanha reação desproporcional. Vale lembrar que as situações apresentadas aqui não têm por objetivo incitar o julgamento antecipado ou qualquer tipo de reação violenta contra nenhuma família. Nosso objetivo é contribuir com informações relevantes que ajudem as pessoas a entender a gravidade da intolerância e a necessidade de orientação especializada. Em respeito às pessoas envolvidas, modificamos as manchetes.

– Criança vai a óbito após apanhar por xixi na cama

– Criança é trancada nua para fora de casa após xixi na cama

– Criança sofre agressão física com raquete por xixi na cama

– Criança é agredida no rosto por fazer xixi na cama

Xixi na cama: como lidar?

Se o seu filho tem mais de 5 anos – ou se você conhece alguma família com criança que faz xixi na cama – é essencial conversar com especialistas. Diversas condições podem contribuir para isso, especialmente a enurese noturna, um transtorno que afeta cerca de 10% das crianças entre 5 e 7 anos por razões hereditárias, fisiológicas e emocionais. Nesses casos, Centros de Apoio são ótimos lugares para se informar e dar início a tratamentos que reduzam os episódios e ajudem a criança a superar o problema sem traumas. No nosso site, é possível localizar muitos desses profissionais, clicando aqui.

Se a situação atingir você ou pessoas próximas de tal maneira que desperte reações agressivas, o ideal é respirar fundo, sair de perto da criança e procurar orientação psicológica o quanto antes.

Criança não faz xixi na cama de propósito, e mesmo que se trate de enurese secundária – causada por fatores emocionais como o estresse – é preciso entender as raízes da questão ao invés de pressiona-la ainda mais e piorar o quadro. Lembre-se de que o seu filho está aprendendo a lidar com tudo o que o rodeia, inclusive com a relação entre vocês. Quanto mais apoio e carinho você oferecer, mais forte se tornará esse vínculo. Importante lembrar também que há crianças que se expressam com facilidade, enquanto outras não. De todo modo, forçar não é legal. Ofereça outros suportes para que ela se manifeste, como desenhos e cartas, por exemplo. O mais importante é mostrar o quanto você se importa e que, juntos, vocês poderão superar o xixi na cama.