O diagnóstico de enurese noturna primária ou secundária é importante para o tratamento adequado do xixi na cama. Entenda!

Se você costuma acompanhar os nossos conteúdos, já sabe que o xixi na cama após os 5 anos pode ser diagnosticado como enurese noturna. O distúrbio é um ato involuntário da criança, provocado por fatores fisiológicos, hereditários ou até mesmo emocionais.

Isso mesmo, a enurese tem diferentes causas e tipos – como enurese noturna primária ou secundária – e identificá-los é imprescindível para que o especialista recomende o tratamento adequado.

Quer saber mais? Confira as principais diferenças que listamos. Esse texto vai ajudá-lo a entender melhor o quadro do seu filho(a) e a se preparar para uma consulta com o especialista.

Enurese noturna primária ou secundária?

Se a criança nunca conseguiu ficar um intervalo maior que 6 meses sem fazer xixi na cama, então o quadro é considerado enurese noturna primária. Mas, se ela voltou a urinar à noite depois de já ter conseguido alcançar o controle por mais de 6 meses, é um quadro denominado enurese secundária.  

O que pode causar a enurese noturna primária?

– Hereditariedade: se o pai ou a mãe teve o distúrbio durante a infância, há 43% de chance que o filho também desenvolva a enurese; se os dois tiveram, a probabilidade aumenta para 77%;

– Desregulação do hormônio vasopressina: este é o hormônio responsável pela concentração de urina nos nossos rins. Durante a noite, nossa hipófise aumenta a produção desse hormônio para reduzir o volume de urina produzida e diminuir a necessidade de irmos ao banheiro. Porém, nas crianças enuréticas é comum haver uma deficiência na produção deste hormônio durante a noite, fazendo com que a criança produza mas urina do que o esperado;

– Incapacidade de despertar com bexiga cheia: o nosso cérebro consegue nos avisar quando a bexiga precisa ser esvaziada. Mas, algumas crianças têm sono pesado e esse aviso não é realizado, o que acarreta em xixi na cama.

Enurese secundária frequentemente é influenciada por causas emocionais

Sintomas psicológicos são resultado e não causa da enurese noturna primária. Porém, traumas e estresse psicológicos são frequentemente causas da enurese secundária.

Para auxiliar no diagnóstico da causa do xixi na cama, devem ser observados comportamentos e rotina da criança, como:

– Mudanças e conflitos: situações que possam gerar ansiedade ou angústia, como troca de escola ou mesmo de estágio escolar, mudança de cidade, divórcio dos pais ou problemas familiares.

– Críticas excessivas ou superproteção: o equilíbrio entre o amparo e a rigidez é importante para manter a saúde emocional de seu filho (a). Exigir demais, evidenciar aspectos negativos ou muita proteção podem ser prejudiciais para a criança. A baixa autoestima e insegurança são consequências da enurese.  

Seja qual for a causa ou o tipo de enurese, se o xixi na cama tem impactado o bem-estar da criança e da família, está na hora de dividir o problema com o pediatra. Somente uma avaliação médica é capaz de realizar o diagnóstico e tratamento adequados. Por isso, busque a ajuda de um especialista. No nosso site, é possível localizar Centros de Apoio por região.