Compartilhar o problema pode ajudar na busca por soluções e na conscientização sobre enurese noturna

Por se tratar de um assunto íntimo, o xixi na cama é visto por muitas famílias como um tabu, um segredo que precisa ser guardado até que seja resolvido por completo. Mas, será que omitir o transtorno ajuda ou atrapalha no processo de tratamento? Claro que isso depende muito do contexto em que a criança está inserida, mas, de modo geral, dividir o problema com pessoas próximas pode ajudar tanto os pais, que encontram alguém para partilhar os desafios, quanto as crianças, que ganham uma rede de apoio maior e mais consciente.

Para você que tem dúvidas sobre como falar sobre o xixi na cama, preparamos algumas dicas que podem ajudar. Também não deixe de baixar e recomendar a leitura do nosso guia de cuidados, uma boa forma de contribuir com a conscientização sobre a enurese noturna!

Quando contar?

Se você decidiu contar para alguém sobre o xixi na cama, é importante que, antes, tenha procurado orientação médica para identificar se a situação corresponde à enurese noturna ou a outras condições de saúde infantil. Entretanto, se a relação é de total confiança e você se sentir confortável para pedir companhia durante a consulta com o pediatra, tudo bem. O importante é não dispensar, em nenhuma hipótese, a avaliação de um especialista.

Mas, como contar?

Assim como qualquer outro assunto importante, só você saberá a melhor forma de compartilhar a situação do xixi na cama com outra pessoa. O que mais importa, na verdade, não são os meios utilizados, mas sim a forma como isso será feito. Mantenha a discrição e evite expor a criança a comentários que a façam se sentir envergonha, ridicularizada ou culpada. Em alguns casos, quanto menos gente envolvida, melhor!

A criança precisa saber que eu contei?

Isso depende muito de como a criança costuma se sentir quando evidenciada, especialmente de acordo com a relação que ela tem com a pessoa. Geralmente, a melhor saída é explicar para a criança que aquela tia, o avô ou uma amiga próxima da família, poderiam ajudar a lidar com o problema. Mas, se a simples hipótese deixá-la nervosa, ansiosa ou irritada, recue! Respeite os sentimentos da criança e procure uma alternativa.

Devo aceitar conselhos?

Os conselhos são um movimento natural que as pessoas têm na intenção de ajudar. Contudo, mesmo que sejam embasados em experiências anteriores, é importante reforçar que nenhuma história é igual a outra, portanto, os resultados também não serão. Tire proveito daquilo que parecer bom para você e, principalmente, para a criança, mas não se sinta frustrado(a) caso os efeitos não sigam o esperado. Mas uma vez: para diagnóstico e tratamento adequado, conte com um especialista.

E se rolar julgamento?

Por se tratar de uma situação natural na infância, é comum as pessoas associarem o xixi na cama a comportamentos de rebeldia e malcriação. Entretanto, você já sabe que enurese noturna é um transtorno, por isso, sugestões de castigo e agressões físicas e verbais não devem ser consideradas. Aliás, caso receba esse tipo de recomendação, uma boa ideia é apresentar a essa pessoa informações de qualidade, como o site do Sem Xixi na Cama. Não ceda à pressão externa! A pessoa mais importante em tudo isso é o(a) seu(sua) filho(a).

No fim das contas não existe uma regra para lidar com a enurese. Cada família encontrará sua maneira de resolver o assunto e seguir em frente. Enquanto existir respeito, compreensão e carinho, tudo vai ficar bem! Xixi na cama é só uma fase, mas o apoio de pessoas queridas fará diferença no emocional da criança para sempre.