Confira entrevista do urologista pediátrico Dr. José Murillo Neto e entenda porque recorrer à punição apenas atrapalha a melhora dos casos de enurese noturna

Você já ouviu falar da enurese noturna? Embora bastante comum na infância, a criança que faz xixi na cama pode apresentar esse diagnóstico, um transtorno que atinge até 15% de meninos e meninas a partir dos 5 anos de idade. Mas por falta de conhecimento, muitos deles são castigados, inclusive fisicamente.

Em entrevista ao programa Mato Grosso no Ar, o médico urologista pediátrico Dr. José Murillo Neto, da Universidade de Juiz de Fora (MG), explica por que a punição não é a solução para o xixi na cama. Pelo contrário: ela pode agravar o quadro de enurese noturna, acentuando consequências psicológicas já relacionadas ao distúrbio como baixa autoestima, isolamento social, alterações de humor e insegurança.

“A criança faz xixi na cama sem querer, então não existe qualquer justificativa para que ela seja punida, ou sofra qualquer consequência por causa disso. Trata-se de um ato involuntário que, com certeza, a criança não gosta que aconteça. Ela não fica feliz quando urina na cama”, alerta o especialista.

A reportagem também aborda as causas e consequências da enurese noturna, assim como as principais modalidades de tratamento.

Como ajudar a criança a lidar com o xixi na cama?

Além de não auxiliar no tratamento, o comportamento inadequado de punição dos pais ou responsáveis pode piorar o quadro de enurese noturna, já que aumenta o nível de estresse e sofrimento. Para que toda família possa ajudar a criança a ter uma remissão dos episódios de xixi na cama, o especialista considera importante:

  1. Entender o problema. Conscientizar-se de que a criança não tem culpa;
  2. Oferecer ajuda, apoio e conforto ao invés de punição;
  3. Procurar atendimento médico especializado

“O principal é procurar atendimento médico especializado, como o urologista ou nefrologista pediátrico, e profissionais treinados para lidar com esse tipo de problema e que possam orientar e prescrever o tratamento mais indicado para aquela criança”, destaca o médico.

Em alguns dos casos, é também recomendável o auxílio psicológico, de modo a dar apoio a criança em possíveis problemas de autoestima, rendimento escolar e de relacionamento. Para ouvir a entrevista completa, clique aqui. Você também encontra mais informações sobre a enurese noturna no site e nos canais sociais do Sem Xixi na Cama.