A desinformação aumenta a divulgação de mitos sobre xixi na cama e dificulta o diagnóstico e tratamento

Ih, xixi na cama de novo? Calma. Nós sabemos como os lençóis molhados podem causar transtornos e constrangimento para a criança e toda a família. Infelizmente, nem todo muito sabe que a persistência dos episódios de xixi na cama após os 5 anos pode ser enurese noturna, e a ausência de informação sobre o assunto pode dificultar o diagnóstico e tratamento adequados. Por isso, nós esclarecemos os principais mitos sobre xixi na cama pra você estar atento!

Mito 1 – “É só com o meu filho”

O xixi na cama não é uma condição incomum. Até os 5 anos de idade, muitas crianças têm escapes de urina ao dormir. A partir dessa idade, cerca de 15% das crianças, segundo a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), já experienciaram a enurese noturna, distúrbio que leva à perda involuntária de xixi durante o sono. Por volta de 3% continuam a lidar com o problema até os 12 anos, com risco de se arrastar até a idade adulta. Por isso é importante procurar ajuda médica para o diagnóstico e tratamento adequados.

Mito 2 – “É birra ou preguiça”

Esse é um dos mitos sobre xixi na cama mais prejudiciais para a própria criança. A enurese noturna tem causas fisiológicas, neurológicas, emocionais e até hereditárias – se o pai ou a mãe faziam xixi na cama, há 43% de chances de a criança também fazer, se os dois faziam, as chances aumentam para 77%. Por isso é importante conversar abertamente sobre o assunto e tirar todas as dúvidas durante a consulta com o pediatra.

Mito 3 – “Acordar a criança durante a noite resolve o problema”

Interromper o sono da criança não ajuda, pelo contrário, pode atrapalhar. Muitas vezes, a criança não esvazia completamente a bexiga, fazendo com que haja diversas micções numa mesma noite; atitude também pode desencadear problemas de sono e afetar qualidade de vida da criança e dos pais.

Mito 4 – “É só esperar passar o problema”

Acreditar que a ajuda médica não é necessária é mais um dos mitos sobre xixi na cama que pode acarretar sérios prejuízos. Quanto mais o tempo passa, mais dificuldades a criança pode enfrentar como deixar de participar de atividades sociais que envolvam passar a noite, como acampamentos, viagens ou dormir na casa de um amigo. O isolamento pode acarretar sentimentos de vergonha, culpa, frustração, baixa autoestima e ansiedade, e até baixo rendimento escolar. As questões emocionais podem, inclusive, piorar o quadro da enurese.

Mito 5 – “É falta de rigidez e punições”

Não! Punir, repreender ou castigar não soluciona o xixi na cama e pode piorar a situação. Mesmo assim, cerca de 27% das famílias utiliza a punição, por meio de humilhações e até agressão física como resposta aos escapes de xixi à noite. O dado é preocupante e alerta sobre como a falta de informação pode levar à intolerância.

Neste vídeo, o especialista Dr. Bruno Cezarino aborda outros mitos e verdades sobre xixi na cama. Não deixe de assistir e compartilhar.

Vale lembrar que fazer xixi na cama é um ato involuntário da criança com enurese e quanto mais apoio da família os pequenos tiverem, mais rápido e maiores as chances de sucesso no tratamento. Para obter mais informações e ajuda profissional, confira em nosso site o Centro de Apoio mais próximo a você.