Incontinência urinária na infância indica alerta e precisa de investigação

Quando as noites da criança começam a ser interrompidas com frequência por conta do xixi na cama, um sinal de atenção acende na cabeça dos pais, ou, pelo menos, deveria. Estima-se que 10% das crianças em idade escolar sofram com a enurese noturna, um transtorno que causa perdas de xixi involuntárias durante o sono por questões fisiológicas, hereditárias e emocionais. Entretanto, se o lençol molhado vem associado a outros sintomas considerados fora do padrão, a necessidade de investigação ganha ainda mais força. Veja algumas condições que podem ter o xixi na cama como sintoma.

– Diabetes  

A diabetes é uma doença crônica que afeta a capacidade do organismo de processar o açúcar no sangue. É classificada em tipo 1 – mais comum em crianças e causada pelo próprio sistema imunológico – e tipo 2 – originada por hábitos de vida pouco saudáveis. Seu principal sintoma é a sede em excesso, que faz com que a criança ingira muito líquido antes de dormir e, inclusive, durante a madrugada, facilitando episódios de perda de xixi. Portanto, fique atento! Se não tratada, a diabetes pode comprometer o bom funcionamento de órgãos como rins, coração e até olhos. Anote os sintomas mais comuns: excesso de sede e fome; emagrecimento repentino; visão embaçada; fraqueza; indisposição; xixi na cama.

– Constipação Intestinal      

Se a prisão de ventre já é inconveniente para adultos, imagine então para um pequeno serzinho. Introdução alimentar, alergias, desfralde precoce, estresse e alimentação pouco saudável são fatores de influência direta e precisam ser considerados na identificação do quadro. Além do incômodo causado pela obstipação, que, inclusive, faz muitas crianças reterem as fezes propositalmente por medo de sentir dor, o xixi na cama pode começar a acontecer, já que, por conta do volume de excreções no intestino, a bexiga diminui sua capacidade. Por isso, atenção aos sintomas: dificuldade para evacuar; fezes endurecidas; dores e inchaço abdominal; redução de apetite; febre; perda de peso; xixi na cama.

– Infecção Urinária

A mais comum das doenças renais da infância não poderia ficar de fora da lista, afinal, ela acomete diretamente o canal que escoa o xixi por meio do contato com bactérias, que podem ficar ao redor dos órgãos genitais, vir do ânus ou, até mesmo, pelo sangue. Geralmente, as meninas sofrem mais com o problema pela proximidade do ânus com a vagina, especialmente quando ainda usam fraldas ou logo após o período de desfralde, mas o problema também afeta os meninos. Observe os sintomas principais: urgência para urinar; dificuldade para esvaziar a bexiga de uma vez; dor ao urinar; febre; xixi na cama. 

– Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade 

O TDAH é um transtorno de desenvolvimento que pode ser identificado ainda durante a infância, sobretudo, durante a fase escolar. A principal característica de quem sofre com o problema é a imaturidade neurológica excessiva, que causa dificuldade de aprendizado, pouca assimilação de regras e conceitos, falta de atenção e bloqueio na interação com outras crianças. Por isso, é comum que crianças diagnosticadas com o TDAH sofram por mais tempo com a enurese – perda de xixi – e encoprese – perda de cocô, já que os centros cerebrais mais próximos às áreas de controle dessas excreções demoram para amadurecer. É necessário procurar orientação de especialista – pediatra, neurologista, psiquiatra ou psicólogo – a fim de identificar o tipo do transtorno e o melhor tratamento.  Principais sintomas: agressão; impulsividade; ansiedade; esquecimento frequente; falta de atenção; desinteresse; inquietude; imaturidade; dificuldade de expressar palavras; xixi na cama.

– Apneia Obstrutiva do Sono

Sempre que o sono da criança é interrompido, seu desenvolvimento passa a correr perigo. Na apneia, quadro comum em adultos, mas que também atinge os pequenos, as pausas na respiração causam um microdespertar e fragmentam o sono, alterando o comportamento de rotina da criança e prejudicando coisas como memória e até pressão arterial. O problema pode ser causado por um aumento das amígdalas e adenoides durante o crescimento, obesidade, malformações craniofaciais e doenças neuromusculares. Sintomas comuns: ronco; sono agitado; dificuldade para respirar; hiperatividade; déficit de atenção; xixi na cama.

O Sem Xixi na Cama reforça a importância do diagnóstico e orientação médica. Nenhuma informação fornecida aqui ou encontrada na internet substitui a consulta presencial com um especialista.