Embora comum na infância, fazer xixi na cama após os 5 anos merece atenção e acompanhamento médico

Quase todo mundo se lembra de pelo menos um episódio de xixi na cama durante a infância. Embora comum, molhar os lençóis durante o sono, após os 5 anos, caracteriza a enurese noturna, distúrbio que merece atenção dos pais e busca por orientação médica. Enfrenta o xixi na cama aí na sua casa ou conhece alguma família que esteja lidando com o problema? Então, confira o que o Sem Xixi na Cama gostaria que todo mundo soubesse sobre enurese noturna.

Xixi na cama a partir dos 5 anos pode ser enurese noturna

A enurese noturna é uma condição que afeta 10% das crianças a partir dos 5 anos de idade e causa perda involuntária de xixi durante o sono. Hereditariedade, falhas neurológicas e questões emocionais são as principais causas do xixi na cama. Além delas, obstipação intestinal e disfunções são exemplos de outras condições que podem contribuir com a enurese noturna. Cerca de 3% das crianças lidam com o problema até os 12 anos, e há a possibilidade de a situação se arrastar até a idade adulta – 0,5%. Por isso, a partir dos 5 anos, é extremamente importante procurar um especialista e investigar a enurese.

Acordar durante a madrugada para fazer xixi no banheiro não ajuda

Mesmo parecendo uma forma educativa e preventiva, interromper o sono da criança para que ela faça xixi no banheiro não ajuda na resolução da enurese noturna. Além de poder acontecer em todas as fases do sono, muitas vezes, o xixi na cama não esvazia a bexiga da criança completamente, fazendo com que haja várias perdas em uma mesma noite. A situação ainda desencadeia problemas de sono e, consequentemente, atrasos no desenvolvimento e na qualidade de vida da criança – e da mãe! Segundo estudos recentes, 50% das crianças com enurese noturna tem problemas de aprendizado. Mas cuidado com o uso de fraldas! O ideal é procurar orientação médica o quanto antes e, até lá, oferecer apoio à criança.

 Esperar o problema passar sem tratamento pode causar traumas emocionais

Muitas famílias optam por esperar a resolução do xixi na cama por si só, acreditando ser algo comum da infância, ou pior, um comportamento intencional para chamar a atenção. Quanto mais a idade avança e o problema persiste, mais dificuldades vão aparecendo. Acampamento na escola, noite do pijama na casa dos amigos, viagem de férias. A tendência da criança com enurese é sentir-se muito diferente das demais e, por isso, acabar se isolando e despertando sentimentos como culpa, raiva, frustração e repulsa. O papel do psicólogo é importante nesses casos, mas, o ideal mesmo, é evitar o progresso da enurese noturna assim que ela começar a se manifestar.

 O apoio da família é essencial no tratamento da enurese

Estudos recentes apontam que 50% das crianças sofrem punição física pelo xixi na cama, dado alarmante que evidencia a intolerância por falta de informação. Agredir, debochar, repreender e/ou deixar a criança de castigo, são atitudes que não contribuem para o tratamento da enurese noturna, principalmente se olharmos para o desenvolvimento emocional dos pequenos. É importante entender que a criança não faz xixi na cama porque quer, mas sim porque está com alguma questão maior acontecendo. Quanto mais apoio e envolvimento da família no tratamento, maiores são as chances de sucesso e de superação sem traumas. No nosso site, é possível localizar Centros de Apoio por região.